Portal de Noticias

Chile registra aumento alarmante no número de animais marinhos encalhados mortos

Trata-se de uma gripe aviária de alta patogenicidade (HPAI) do subtipo H5 da linhagem eurasiana e, segundo Sernapesca, a situação epidemiológica continua a agravar-se.

0 64

“No total, são relatados 1.535 espécimes de leões marinhos, 730 pinguins de Humboldt e 8 chungungos que encalharam mortos nas costas das macrozonas centro e norte, sendo as principais regiões afetadas: Arica e Parinacota com 709 leões marinhos mortos e 343 de pinguins de Humboldt mortos, a região de Tarapacá com 195 leões marinhos mortos, a região de Antofagasta com 218 leões marinhos mortos e a região de Atacama com 226 pinguins de Humboldt mortos”, disse o comunicado publicado na sexta-feira.

Especifica-se que o número total de animais marinhos encalhados mortos em 2023 “excede o número total de encalhes, correspondentes a estas espécies, registados ao longo do ano de 2022 em 1.421 por cento”.

A diretora nacional de Sernapesca, Soledad Tapia, precisou que em 2022 houve 160 animais marinhos encalhados mortos no total, enquanto em 2021 esse número foi ainda menor, com 129 espécimes mortos.

“Isto mostra que estamos claramente perante uma situação anómala, que atribuímos ao fenómeno da gripe aviária de alta patogenicidade, tanto mais que os encalhes nestes meses se concentram no norte”, disse Tapia, citado na nota.

Trata-se de uma gripe aviária de alta patogenicidade (HPAI) do subtipo H5 da linhagem eurasiana e, segundo Sernapesca, a situação epidemiológica continua a agravar-se.

“Há nove regiões que registraram fauna marinha protegida pela Lei de Pesca e Aquicultura com positividade para gripe aviária, com casos de Arica a Biobío apenas, exceto a região metropolitana e Ñuble”, disse o comunicado.

Assim, o serviço nacional exortou as pessoas que se encontrem na zona costeira a evitar qualquer contacto com “uma ave ou animal marinho morto ou que apresente sinais como: apodrecimento, tosse, dificuldades respiratórias ou espasmos musculares” e a denunciar a presença de um morto ave ou animal marinho no litoral, caso o detectem. (Sputnik)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.