Portal de Noticias

Paquistão acolhe Cúpula Mundial sobre Segurança Sanitária

Na presença dos principais especialistas do setor de todo o mundo, a Cúpula Mundial de Segurança Sanitária contribuirá para a formação de uma estratégia integrada para enfrentar as epidemias.

0 83

O Paquistão sediará nos dias 10 e 11 de janeiro a Cúpula Mundial sobre Segurança Sanitária, considerada uma oportunidade para trocar experiências sobre um mundo mais seguro, disseram hoje as autoridades.

Em conferência de imprensa, o ministro federal da Saúde em exercício, Nadeem Jan, garantiu que o evento a realizar em Islamabad tem como objetivos estratégicos unir forças para garantir um financiamento que permita uma preparação adequada para futuras contingências.

As discussões sobre como encontrar alternativas neste sentido serão baseadas na equidade para os países de baixo e médio rendimento no que diz respeito ao acesso às vacinas, à desregulamentação de patentes e à transferência de tecnologia, disse o responsável, segundo a agência Associated Press do Paquistão (APP).

Jan detalhou que a conferência permitirá uma parceria global e regional com organizações internacionais para alinhar as prioridades de segurança sanitária, a fim de reforçar as capacidades básicas através da assistência técnica.

O evento irá explorar oportunidades de trabalho conjunto e financiamento comum para a segurança sanitária em toda a região e no mundo, além do exigido a nível nacional que seja sustentável e baseado num plano quinquenal 2024-28, disse o ministro interino da saúde.

Na presença dos principais especialistas do setor de todo o mundo, a Cúpula Mundial de Segurança Sanitária contribuirá para a formação de uma estratégia integrada para enfrentar as epidemias, reiterou.

Afirmou também que a sua realização no Paquistão permitirá aos visitantes ter uma imagem positiva da nação do Sul da Ásia e do papel fundamental que pode desempenhar no setor da saúde.

No final da conferência, espera-se a assinatura da Declaração de Islamabad, que contém uma carta para a segurança sanitária global e aspectos sobre a pressão para um mecanismo de financiamento baseado na equidade para tornar os sistemas de saúde resilientes e um plano de resposta coordenado a qualquer ameaça, ele apontou. (Prensa Latina)

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.